Uma pesquisa divulgada no final do ano passado pela Exame.com mostra as 40 profissões mais promissoras para 2014, de acordo com 14 companhias de recrutamento. Entre as profissões, como já se pode imaginar, áreas que envolvem tecnologia são as que aparecem nas primeiras posições. No entanto, o que chama a atenção é que diversas das profissões apontadas envolvem alguns indiretamente, mas outras de forma bem direta, a área de comunicação, como gestor de Recursos Humanos, gestor de projetos, diretores de vendas em e-commerce, gerente de vendas em lojas de bens de consumo, especialista de marketing com ênfase em redes sociais, etc.

Ao analisarmos o mercado de trabalho, especialmente as empresas de bens de consumo ou empreendimentos que envolvem tecnologia, prestação de serviços e inovação, verificamos que, cada vez mais, elas prezam pela comunicação eficiente, por uma boa gestão de marca e investem em excelência no modelo de marketing em todas as esferas da instituição. Seja por meio do marketing com os funcionários, marketing para captação de clientes e, claro, o Marketing Digital. 

– LinkedIn: A rede do profissional do futuro
– Os tablets e a revolução do jornalismo impresso

O resultado destes novos investimentos é o que aponta a pesquisa da Exame ao mostrar que em 2014, pela primeira vez nos últimos anos, profissões que podem – ou que devem – ser exercidas por profissionais de comunicação, como jornalistas, publicitários e relações públicas aparecem entre a lista das mais requisitadas. 

 

Para o jornalista, consultor de RH e social media,Adriano Carvalho, as novas demandas indicam que agestão empresarial está descobrindo que em alguns setores a comunicação eficiente pode fazer a diferença entre sucesso e fracasso. “Dentro de trabalhos como programas de retenção de talentos; área de novos negócios; no setor comercial e, finalmente no trabalho de relacionamento com o cliente – seja ligado ao marketing ou em programas de CRM – as Redes Sociais se firmaram como canal eficaz, inovador, ágil e com custos acessíveis a todos os portes de empresa”, comenta.

Segundo a publicitária e diretora executiva da Agência Ori + Usagi de Belo Horizonte, Gabriella Araújo, apesar do grande crescimento de demanda, um problema que os profissionais de comunicação digital ainda enfrentam é que em muitos casos os comunicadores ainda não são devidamente valorizados. “Temos também o problema de alguns trabalhos serem muito novos, como no caso do marketing digital e do social media, o que faz com que poucos tenham conhecimento para sugerir ações certeiras aos clientes. Assim, nos deparamos com profissionais não gabaritados e que prestam o serviço a um preço baixo. O que resulta na desvalorização do setor”, explica.

– Empresa, você precisa das Redes Sociais!  
– O poder de comunicação do Facebook  

Adriano concorda e ressalta que soluções caseiras onde “o sobrinho do amigo entende muito do assunto” ou “um carinha que é entendido na internet”, além de não trazerem resultado positivo nenhum, aumentam o risco de gerar problemas.  “Apesar das dificuldades, as empresas cada vez mais estão percebendo que o que realmente faz a diferença é o capital humano qualificado. O próximo passo fundamental é a qualificação do profissional de comunicação que deseja atuar em projetos ligados às Redes Socais”.