“Eu temo o dia em que a tecnologia ultrapassará a interatividade humana. Este mundo terá uma geração de idiotas.” – Albert Einstein

Esse dia chegou.

Tudo em excesso faz mal, não podem existir quaisquer duvidas quanto a isso.

Mesmo que a tecnologia digital tenha trazido consigo inúmeros benefícios para as nossas vidas, criaram na maior parte da população dos países ditos desenvolvidos, principalmente nesta última geração, uma enorme dependência que necessita de ser alimentada diariamente.

Esta dependência afetou a interatividade humana desta geração de tal forma que um jovem, mesmo estando na companhia de outros, tem constantemente a necessidade de olhar para o ecrã do seu smartphone (aquele que o tem obviamente) para verificar em que estado se encontra o seu “eu digital”, principalmente através das redes sociais mais utilizadas mundialmente: Facebook e Twitter.

Infelizmente, esta dependência não se restringe a uma só faixa etária.

 

Tal como para vários problemas a solução é a moderação.

Não digo que as novas tecnologias não devam ser apresentadas às próximas gerações mais tarde, pelo contrário até acredito que, sendo uma das ferramentas mais úteis dos dias de hoje, devam ser introduzidas no quotidiano das próximas gerações mais cedo.No entanto, sempre com moderação.

A tecnologia consegue alcançar feitos que eram considerados inacreditáveis até à poucos anos, mas, por mais que facilite a nossa vida social e profissional, não podemos deixar que a nossa natureza social seja negativamente afetada por ela.

Para aqueles que temem ficar ou que já estão viciados no Facebook, mas o desconhecem, preencher um simples questionário pode fazer toda a diferença.

Questionário baseado na Escala Bergen de Apego ao Facebook, criada pela Faculdade de Psicologia da Universidade de Bergen em colaboração com a Fundação das Clínicas de Bergen, Noruega.