Apesar de vivermos num período ao qual intitulámos por Era da Informação, a comunicação digital não se encontra completamente integrada no ensino público português, contribuindo assim para o aumento das disparidades no campo da educação.

O facto do ensino privado ter habitualmente mais fundos, não é a única razão porque a incorporação da comunicação digital na formação dos alunos que frequentam as escolas públicas tem um papel menos importante.  Papel este que nasce de uma atitude que é mais evidenciada nas administrações e departamentos das escolas privadas, que valorizam e tentam incluir mais a comunicação digital na educação, que nas das públicas. Esta tomada de posição leva a consequências negativas na aprendizagem dos seus alunos,  sendo a principal o analfabetismo digital, que irá reduzir drasticamente as possibilidades e capacidades informáticas dos mesmos que certamente iram necessitar delas futuramente nas suas vidas profissionais.

Mesmo que muitas destas crianças e jovens pertençam a famílias com computadores e acesso à Internet, as suas práticas informáticas encontram-se direcionadas principalmente para o lazer. Por este mesmo motivo é que deve ser fomentada nas escolas públicas a introdução e educação das tecnologias informáticas de maneira a que os alunos tenham desde cedo a capacidade de direcionar as suas práticas digitais para a vida profissional.

Desta forma, cabe  a um maior investimento financeiro privado e do Ministério da Educação para que haja uma mudança tanto na mentalidade das direções das escolas públicas como na dos  alunos que as frequentam, quanto à importância das tecnologias informáticas na vida profissional. 

Analfabeto Digital